Produtores sem mercado para vender 500 toneladas de citrinos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Produtores de citrinos do município da Humpata, província da Huíla, se vêem a braços para escoar e vender mais de 500 toneladas de limão, laranja e tangerina, devido a limitações de acesso aos principais mercados, no quadro do Estado de Emergência.

Em situações normais, clientes de várias províncias se deslocam ao município e compram a fruta para ser encaminhada e revendida em outros mercados, tanto nesta região, como nos demais pontos de venda espalhados pelo país.

Mas este movimento foi quebrado com a entrada em vigor do Estado de Emergência. Apesar do afrouxamento das medidas de restrição, ainda é tímida a sua retomada, pelo que os agricultores enfrentam dificuldades para escoar a produção.

Neste momento, os fazendeiros dizem ser obrigados a baixar os preços da laranja, limão e da tangerina para evitar que apodreça, diante da ausência dos potenciais compradores, geralmente oriundos das províncias de Benguela e Luanda.

Joaquim Chicolomuenho, administrador de uma fazenda, disse que “os camionistas já não aparecem para levar a fruta para os principais mercados de consumo, particularmente o de Luanda, que inclui fábricas de derivados, como de compotas, sumos e outros”.

A baixa procura, prosseguiu, tem causado enormes prejuízos e assola muitos produtores e fazendeiros, que anualmente produzem mais de 500 toneladas de citrinos, neste município.

“Temos muita produção só os preços é que estão muito baixos mesmo. Esse saquinho de ráfia vermelho tem 25/30 kg e estamos a vender entre 800 a mil kwanzas, assim não dá”, lamentou João Caviel, agricultor.

Por sua vez, a directora municipal da Agricultura, Flora Fernandes, disse que os resultados da 1ª fase da presente campanha agrícola são positivos e defende a necessidade de se melhorar o escoamento.

“Este ano temos muita fruta, como podemos ver até a esta altura ainda temos maçã. Antes do início da pandemia, os mercados do Namibe, Cunene, Benguela e Luanda eram os mais preferenciais. Actualmente o comércio é feito no mercado interno”, concluiu.

O município da Humpata, pelo seu clima tropical, é o maior produtor de frutas na Huíla, com uma safra anual fixada em quase cem mil toneladas, entre morangos, maçã, pêssego, pêra, citrinos, entre outras.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.