Funcionária de uma estação de Londres morre com covid-19 após ser cuspida por um passageiro que disse estar infetado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Uma funcionária de uma estação de Londres, Belly Mujinga, de 47 anos de idade, morreu de covid-19 após ser cuspida por um passageiro que disse estar infetado.

O incidente aconteceu a 22 de março, na estaçao de Victoria, quando Mujinga e uma colega foram atacadas por um homem que disse estar infetado. Ele tossiu e cuspiu para cima de ambas, que acabaram por ficar doentes alguns dias depois.

O Guardião

Segundo contou o marido da vítima, Lusamba Gobe Katalay, o passageiro terá abordado a funcionária, perguntando o que ela estava a fazer ali. Ela terá respondido apenas que estava a trabalhar, após o que o homem lhe cuspiu para cima.

Mujinga, que tinha antecedentes de problemas respiratórios, foi internada no Barnet Hospital a 2 de abril e foi colocada num ventilador mas acabou por não resistir à gravidade da doença, morrendo três dias depos. Deixou uma filha de 11 anos.

A Polícia Britânica de Transportes anunciou entretanto ter sido aberto uma investigação para identificar e encontrar o autor do ataque, que um porta-voz do primeiro-ministro descreveu como “desprezível”.

À BBC, uma prima disse que Mujinga acreditava estar segura no seu local de trabalho. “Não a deviam ter colocado lá”, afirmou Agnes Ntumba. “A sua morte podia ter sido evitada se estivesse a usar mais equipamento de proteção individual ou se estivesse numa sala e não no átrio da estação.”

Também o sindicato do sector considerou que esta morte levanta “questões sérias”.

“Como pessoa vulnerável, de um grupo de risco, e sendo a sua condição do conhecimento do empregador, não está claro porque não deixou de exercer a profissão na linha de frente logo no início da pandemia”, disse um representante sindical.A empresa empregadora, a Govia Thameslink Railway, já reagiu, garantindo que está a investigar todas as alegações.

Um dos colegas de Mujinga, Victor Bangura, 34 anos, completamente incredul disse: “Todos somos vulneráveis”.

Ele acrescentou: “Fiquei muito chocado. É a última pessoa a quem eu esperaria que isso acontecesse. Ela era uma pessoa amável, parecia saudável, era mãe. Todo o meu corpo entrou em choque. Eu fiquei muito, muito emocionado”, disse.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.