China reduz taxas alfandegárias sobre 79 bens importados dos Estados Unidos

China reduz taxas alfandegárias sobre 79 bens importados dos Estados Unidos

A China anunciou hoje que vai reduzir as taxas alfandegárias aplicadas a 79 produtos importados dos Estados Unidos, durante o período de um ano, parte do acordo comercial “Fase Um”, assinado entre os dois países.

Na lista, publicada pelo ministério das Finanças chinês, constam certas pastilhas de silício usadas em produtos eletrónicos, desinfetantes e terras raras, que são minerais essenciais na produção de alta tecnologia.

Os 79 produtos vão estar isentos de taxas alfandegarias adicionais a partir de 19 de maio e durante o período de um ano.

O ministério não especificou quanto é que aqueles produtos representaram em numerário, nas importações chinesas no ano passado, ou o valor da redução nas taxas.

Em fevereiro passado, o país anunciou a redução de taxas, também por um período de um ano, sobre 65 bens fabricados nos EUA, incluindo peças de aviões e equipamento médico.

O anúncio foi feito no contexto de uma trégua na guerra comercial travada com os Estados Unidos.

Na semana passada, autoridades da China e Estados Unidos reafirmaram a sua adesão ao acordo comercial entre os dois países, dissipando os temores de que a agressiva retórica em torno da pandemia do novo coronavírus pudesse minar as negociações.

“Ambos os lados concordaram que estão a ser alcançados bons progressos na criação de infraestruturas governamentais necessárias para tornar o acordo um sucesso”, disseram, num comunicado conjunto, Robert Lighthizer, representante do Comércio dos EUA, e Steven Mnuchin, secretário do Tesouro.

Na segunda-feira, Donald Trump descartou a renegociação do acordo comercial com a China, apesar da pandemia estar a afetar o crescimento global, pedindo a Pequim que honre os seus compromissos primeiro.

O acordo “Fase Um” determina o início de reformas nas práticas chinesas de transferência de tecnologia e um aumento das importações de produtos norte-americanos pela China.

Em troca, os Estados Unidos suspenderam as taxas alfandegárias que deviam ter entrado em vigor, em dezembro passado, e reduziram para metade a taxa de 15%, imposta sobre 110 mil milhões de dólares em bens importados da China.

Trump manteve, no entanto, taxas adicionais de 25% sobre 250 mil milhões de dólares de bens importados da China, dependendo das negociações futuras para um acordo que ponha fim à prolongada guerra comercial entre os dois países.

Fonte: Lusa

Close Menu