PR debateu por videoconferência futuro da região após a pandemia de covid-19 com homólogos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Presidente da República, João Lourenço, participou esta sexta-feira, por vídeoconferência, num debate, com sete homólogos da Comunidade para o Desenvolvimento da África Austral (SADC), para a troca de experiências sobre a contenção e o combate à covid-19.

Participaram da reunião os Presidentes Cyril Ramaphosa (África do Sul), Hage Geingob (Namíbia), Mokgweetsi Masisi (Botswana), Emmerson Mnangagwa (Zimbabwe), Filipe Nyusi (Moçambique), bem como os reis Letsie III (Lesotho) e Mseati III (E-swatini).

Em declarações à imprensa, o chefe da diplomacia, Téte António, que acompanhou a conferência, disse que os participantes falaram sobre pesquisa científica e a sincronização de políticas migratórias nas fronteiras dos Estados da região.

Téte António frisou que o futuro na região após a pandemia de covid-19 foi igualmente analisado entre os chefes de Estado na videoconferência, da iniciativa do Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa, na qualidade de presidente em exercício da União Africana.

A SADC é uma organização regional, integrada por Angola, África do Sul, Botsuana, Comores, Essuatíni, Lesoto, Madagáscar, Maláui, Maurícias, Moçambique, Namíbia, República Democrática do Congo, Seychelles, Tanzânia, Zâmbia e Zimbabué.

O número de mortos devido à covid-19 em África subiu hoje para 2.074, com mais de 54 mil casos da doença registados em 53 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

Entre os países africanos que têm o português como língua oficial, a Guiné-Bissau lidera em número de infeções (594 casos e dois mortos), seguindo-se a Guiné Equatorial (439 e quatro mortos), Cabo Verde (230 e duas mortes), São Tomé e Príncipe (208 casos e cinco mortos), Moçambique (82) e Angola (43 infetados e dois mortos).

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 269 mil mortos e infetou mais de 3,8 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de 1,2 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.