Médicos cubanos aptos para começarem a trabalhar nas comunidades

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Cerca de 237 médicos cubanos dos 256 que chegaram ao país no dia 10 abril, foram testados e todos os testes deram negativo, estando agora aptos para começarem a trabalhar junto das comunidades.

Esta informação foi avançada pelo secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda.

Na habitual conferência de imprensa realizada nesta quinta-feira, que serviu para actualizar os dados sobre a covid-19 no país, o governante informou que os testes de todos os médicos cubanos tinham sido negativo e que 53 médicos já tinham sido despachados para as províncias da Huíla, Bié, Moxico e Namibe. Os restantes médicos (184) seguem hoje para as restantes províncias do país.

Após terem chegado ao país, o contingente médico cubano foi testado e uma especialista da área de estatística acusou positivo, o que obrigou o governo a impor um período adicional de quarentena de 20 dias, isso depois de cumprir 14 dias de quarentena no seu país, Cuba, e sete em Angola.

Quanto ao estado epidemiológico da covid-19, Angola mantém-se nos 36 casos positivos com dois óbitos, 11 recuperados e 23 activos e estáveis.

O número de mortos devido à covid-19 em África ultrapassou hoje os dois mil, com mais de 51 mil casos da doença registados em 53 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

De acordo com o Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da União Africana (África CDC), nas últimas 24 horas, o número de mortos subiu de 1.959 para 2.012, enquanto as infeções aumentaram de 49.352 para 51.698.

O número total de doentes recuperados subiu de 16.315 para 17.590.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 266 mil mortos e infetou cerca de 3,8 milhões de pessoas em 195 países e territórios.

Mais de um 1,1 milhões de doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.