África é o único continente que regista um aumento da perda florestal – FAO

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

África é o único continente do mundo que regista uma crescente perda florestal, segundo as conclusões preliminares de um estudo da organização da ONU para a Alimentação e Agricultura (FAO), hoje divulgadas.

De acordo com as primeiras conclusões da Avaliação dos Recursos Florestais Mundiais, um relatório realizado pela FAO a cada cinco anos, e que será divulgado no próximo mês, a perda florestal em África acelerou na última década, passando de menos 3,4 milhões de hectares por ano entre 2000 e 2010, para 3,9 milhões de hectares entre 2010 e 2020.

África não é, no entanto, o único continente que registou grandes perdas florestais nas últimas décadas.

De acordo com o relatório, a América do Sul, que entre 2000 e 2010 perdeu 5,2 milhões de hectares por ano, registou uma redução desta perda para metade durante os últimos dez anos, com uma média anual de menos 2,6 milhões de hectares de floresta.

Segundo a especialista da FAO Anne Branthomme, que trabalha no programa de Avaliação Global dos Recursos Florestais, “esta é uma péssima notícia” para o continente.

“Uma explicação é certamente o crescimento da população da região. Grande parte da desflorestação na região deve-se à agricultura de subsistência em pequena escala”, disse Branthomme numa entrevista à agência France-Presse.

Para a especialista, a insuficiente redução da pobreza, aliada ao crescimento demográfico, “está a aumentar a pressão sobre as florestas, o que é muito lamentável, uma vez que as florestas em África são também uma fonte muito importante de alimentos, lenha e energia”, acrescentou.

De acordo com a FAO, a perda florestal tem continuado a abrandar, embora a tendência positiva tenha enfraquecido na última década.

Entre 1990 e 2000, a diferença entre a expansão florestal e a desflorestação cifrava-se em -7,8 milhões de hectares anuais, algo que viria a reduzir para 5,2 na década seguinte. Ainda assim, os dados referentes à última década, totalizam uma contração anual da área florestal mundial em 4,7 milhões de hectares.

Segundo a FAO, desde 1990, o mundo perdeu cerca de 178 milhões de hectares de floresta, uma área equivalente ao território da Líbia.

Atualmente, a área florestal mundial é de cerca de 4,06 mil milhões de hectares, cobrindo 31% da superfície terrestre do planeta.

O relatório aponta ainda que mais de metade, 54%, da floresta mundial está concentrada em apenas cinco países: Rússia, Brasil, Canadá, Estados Unidos e China.

Os continentes sul-americano e africano são ainda os que apresentam uma maior percentagem de floresta em áreas protegidas, sendo também os que apresentam menor percentagem de planeamento a longo prazo destes sistemas.

De acordo com a FAO, 31% da floresta sul-americana e 27% da floresta africana situam-se em áreas protegida.

Ao mesmo tempo, apenas 17% da floresta sul-americana e 24% da floresta africana estão abrangidos por planeamento e gestão a longo prazo.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.