Família enterra corpo alheio por engano, SIC pondera exumar o cadáver

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Serviço de Investigação Criminal (SIC) informou, esta quarta-feira, que poderá avançar para a exumação do cadáver de uma cidadã sepultada por engano, no Cemitério do Benfica, em Luanda, pela família de Edna António Filipe “Dama Bu”.

O cadáver foi enterrado a 01 de Maio, depois de os familiares de Dama Bu terem feito, erradamente, o seu reconhecimento, na Morgue Central de Luanda.

Edna Filipe estava desaparecida desde 5 de Abril último, e depois de muita procura foi confirmada a sua morte, pela família, que decidiu providenciar o óbito e o funeral.

Entretanto, dois dias depois, a suposta falecida apresentou-se à família. “Era hábito ela ficar entre três a quatro dias fora de casa. Mas desta vez foram 25 dias, motivando a preocupação da família. Procuramos em hospitais, cadeias e morgues e deixamos fotografias para a sua rápida localização”, explica a mãe de Dama Bu.

Conforme Maria Antónia (mãe), foram (familiares) chamados para identificar o corpo de uma mulher, em estado de decomposição, na morgue do Hospital Josina Machel, que “tinha alguns traços” da sua filha.

Depois de ser identificado esse corpo, explicou, alguns familiares e o marido da suposta morta decidiram fazer o óbito e o respectivo enterro, na última sexta-feira. A ANGOP apurou que o corpo enterrado por engano tinha sinais de atropelamento.

Diante desse cenário, fonte do SIC informou à ANGOP que está em curso um processo de investigação e aberta a possibilidade de exumação (retirada do corpo da terra ou da sepultura), caso seja devidamente identificado e reclamado pela família verdadeira.  

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.