Credores privados só aceitam alívio da dívida com contrapartidas – Analistas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os analistas e advogados contactados pela agência de informação financeira Bloomberg sobre o alívio da dívida aos países em desenvolvimento consideram que a iniciativa muito dificilmente será aceite pelos credores privados sem uma contrapartida apelativa.

“Para esta maioria de investidores privados, fundos de investimento, fundos soberanos e fundos de pensões aceitarem o acordo, tem de ser oferecido um ‘doce’ ou então ser muito amigo dos credores”, sintetizou o diretor do departamento de investimentos da Capitulum, uma gestora de ativos que gere mais de mil milhões de euros, admitindo que “é muito improvável” que as iniciativas propostas pelo G20 avancem.

Lutz Roehmeyer referia-se à proposta apresentada pelas 20 economias mais industrializadas do mundo relativamente a uma moratória nos pagamentos da dívida dos países mais vulneráveis, que vai de maio a dezembro deste ano, mas para a qual ainda não há a adesão dos credores privados.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.