Inteligência americana diz que o coronavírus não foi feito pelo homem ou geneticamente modificado

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Os serviços de inteligência dos EUA concluíram que o coronavírus “não foi feito pelo homem ou geneticamente modificado”, mas avançam que as investigações sobre a origem do surto vão continuar, noticiou à imprensa internacional.

De acordo com a CBSNews que cita um comunicado do gabinete do director dos serviços interno de segurança dos EUA, “o coletivo dos serviços de inteligência dos Estados Unidos concorda com o amplo consenso científico de que o novo coronavírus não foi feito pelo homem ou geneticamente modificado”.

Segundo a mesma fonte, os serviços de inteligência americana “continuarão a investigar rigorosamente as informações e informações emergentes para determinar se o surto começou através do contato com animais infectados ou se foi o resultado de um acidente em um laboratório em Wuhan”.

“Os serviços de inteligência dos EUA estão a investigar, mas não descobriram evidências concretas para substanciar, a teoria de que o coronavírus escapou de um laboratório chinês. A possibilidade de o vírus ser bioengenharia, em vez de derivar naturalmente, foi descartada por cientistas e funcionários do governo americano”, escreve a CBSNews.

Recentemente, o presidente Trump e o secretário de Estado Mike Pompeo, acusaram Pequim de ter ocultado dados iniciais sobre a transmissão do vírus na China, algo que, segundo eles, impediu uma resposta global eficaz.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.