Abel Chivukuvuku reaparece em Luanda após quarentena e pede cumprimento de regras

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O político angolano Abel Chivukuvuku disse hoje, em Luanda, que a condição sanitária atual exige de todos os cidadãos o cumprimento rigoroso e escrupuloso das regras estabelecidas pelas entidades competentes de combate ao novo coronavírus.

Abel Chivukuvuku, que cumpriu um período de quarentena depois de regressar, em 17 de março, de uma viagem a Portugal, reconheceu a oportunidade da declaração do estado de emergência, duas vezes prorrogado, para a contenção da covid-19, doença que já provocou duas mortes no país, entre 27 casos positivos, dos quais sete recuperados.

“Renovamos a nossa solidariedade para com as instituições públicas nesta fase crítica que o mundo em geral e o nosso país, em particular, atravessa e que exige, de todos os atores, unidade e colaboração”, disse.

O político, que falava à margem de uma reunião da coordenação provisória da formação PRA-JA Servir Angola, que lidera, sublinhou que o levantamento da cerca sanitária em 17 províncias do país vai proporcionar alguma retoma da atividade económica e social, “crucial para a vida nacional”.

“Apesar deste levantamento, é recomendável que todos os cidadãos cumpram o distanciamento social, as regras de higienização e de biossegurança”, referiu Abel Chivukuvuku, salientando que “os sacrifícios que isso implica são inferiores à grandeza e nobreza do bem maior”.

Angola está no terceiro período de estado de emergência, que se estende até 10 de maio.

O país conta já com 27 casos de infeção pelo novo coronavírus, entre os quais 18 casos ativos, dois óbitos e sete recuperados.

O número de mortes provocadas pela covid-19 em África subiu para 1.589, com quase 37 mil casos da doença registados em 52 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia no continente.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 227 mil mortos e infetou quase 3,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. 

Cerca de 908 mil doentes foram considerados curados desta doença, que é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro de 2019, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.