São Tomé e Príncipe com mais três casos sobe para 14 infetados

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

São Tomé e Príncipe registou, nas últimas 24 horas, mais três casos de infeção pelo novo coronavírus, elevando o total para 14, dos quais 10 estão internados, disse hoje a diretora dos Cuidados de Saúde são-tomense.

“De ontem para hoje rastreámos cinco sintomáticos respiratórios, cujo [resultado de] três deram positivos”, afirmou Feliciana Pontes.

Com estes três novos pacientes, eleva-se para 14 o total de casos acumulados do novo coronavírus em São Tomé e Príncipe, quatro dos quais estão curados.

A diretora dos Cuidados de Saúde, que fazia a atualização do boletim diário do novo coronavírus no país, garantiu que na quinta-feira serão enviados dezenas de colheitas para o Gana.

“Temos uma equipa a proceder à colheita de amostras para serem enviadas esta quinta-feira para um laboratório no Gana”, adiantou Feliciana Pontes.

“Vamos fazer colheitas a todos os sintomáticos respiratórios, a todos que estão no isolamento, os seus contactos, alguns profissionais de saúde e algumas pessoas que a vigilância epidemiológica acha que devem ser submetidas a este tipo de testes”, explicou a médica.

O ministro da Saúde, Edgar Neves, lamentou que “muita gente ainda não acredita que esta doença está instalada” no país.

Feliciana Pontes, garantiu, contudo, que “a doença ainda não chegou à ilha do Príncipe”.

O Governo quer o contributo das igrejas na sensibilização da população, visando travar o avanço do novo coronavírus no país.

O primeiro-ministro, Jorge Bom Jesus, recebeu hoje, em audiências separadas, os representantes das igrejas católica, evangélica, assembleia de Deus e da igreja adventista do sétimo dia.

Todos reafirmaram o compromisso na luta contra a pandemia.

Entretanto, o secretário de Estado do Comércio anunciou hoje que o Governo vai distribuir, dentro de uma semana, 60 mil máscaras de proteção às populações, no âmbito do esforço contra a propagação da covid-19.

As máscaras estão a ser fabricadas por dezenas de costureiros e vão custar ao Estado cerca de seis mil euros.

O Conselho de Ministros decidiu, na semana passada, obrigar os cidadãos a usarem máscara, comparticipando nos custos por considerar que muitos cidadãos “não dispõe de recursos para comprar uma máscara”, principalmente os “de baixa renda”.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 217 mil mortos e infetou mais de 3,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Perto de 860 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.