Centenas de congoleses chegam à RDCongo após serem expulsos de Angola

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Mais de 250 pessoas de nacionalidade congolesa chegaram à localidade de Kamako, na República Democrática do Congo (RDCongo) após terem sido expulsas de Angola, noticiou hoje a comunicação social local.

De acordo com o portal noticioso congolês Actualité, que cita o representante local do Programa Nacional da Higiene nas Fronteiras, Christian Mabedi, 210 pessoas chegaram a Kamako na segunda-feira, enquanto outras 50 atravessaram o posto fronteiriço durante o dia de hoje.

“Eles chegaram exaustos e sem nada. Disseram-nos que foram vítimas de maus-tratos por parte das forças de segurança angolanas. O grave é que algumas das mulheres chegaram quase nuas”, referiu Mabedi, acrescentando que foi medida a temperatura a todos os que atravessaram a fronteira e nenhum apresentou sinais de covid-19.

Na semana passada, o governo provincial de Kasai lamentou, durante o Conselho de Ministros, a expulsão dos congoleses de Angola e a incursão das forças armadas angolanas em território congolês.

Até março, cerca de 20 mil refugiados foram colocados na fronteira pelas autoridades angolanas, com o acordo do Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados (ACNUR).

Os refugiados têm-se queixado recorrentemente de abusos por parte das autoridades de Angola, que têm negado a acusação, e alegam que são forçados a caminhar durante dias, dormindo à beira da estrada e carregando todos os seus bens.

Para Luanda, os congoleses que não se registaram nos serviços de imigração são considerados imigrantes ilegais porque a guerra civil no país vizinho já terminou e perderam o estatuto de refugiados.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.