Mais de 200 cidadãos da RDC tentam furar a cerca sanitária na Lunda Norte

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Duzentos e dez cidadãos da República Democrática do Congo (RDC) estão detidos desde segunda-feira, 27, no Centro de Detenção de Estrangeiros da Lunda Norte, por tentativa de violação da fronteira.

A informação foi avançada hoje, terça-feira,  no Dundo, pelo delegado provincial do Interior na Lunda Norte, Alfredo Quintino “Nilo”,  na reunião da Comissão Multissetorial de Resposta ao Covid-19.

De acordo com o responsável, a maioria dos detidos foram encontrados em zonas de exploração de diamantes.

Alfredo Quintino afirmou que os mesmos violam as fronteiras no período nocturno, usando caminhos “fiotes”  (vias de difícil acesso e sem presença dos agentes dos órgãos de defesa e segurança) e instalam-se em zonas de exploração de diamantes.

Revelou que os estrangeiros mantém-se detidos no centro, porque “há dificuldades” de as autoridades congolesas aceitarem de volta os seus concidadãos, assegurando que decorrem negociações para o repatriamento.

Angola regista desde o dia 26, a terceira fase do Estado de Emergência, que entre outras medidas, veta as entradas e saídas de passageiros em Angola, por via aérea, marítima ou terrestre,  no âmbito das medidas de prevenção e contenção da propagação da covid-19.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.