Governo já distribuiu gratuitamente 132 milhões de litros de água

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Pelo menos 132 mil metros cúbicos, correspondendo a 132 milhões de litros de água, foram distribuídos de 28 de Março até 24 de Abril, de forma gratuita, às famílias que vivem em zonas sem rede de distribuição a nível do país, no pelo Ministério da Energia e Águas.

Dessa quantidade de água, distribuída no âmbito do plano de contingência do Ministério para combater a Covid-19, Luanda beneficiou de 47 mil metros cúbicos, por ser o maior aglomerado populacional do país com mais de oito milhões de habitantes.

Na sexta-feira, sob presidência do ministro da Energia e Águas, João Baptista Borges, o Núcleo de Gestão de Distribuição de Água às Comunidades, com sede na Multiparques em Viana, decidiu aumentar o volume de água a fornecer às zonas mais carenciadas nesta terceira fase do Estado de Emergência.

Para melhorar a eficiência do programa, foram adquiridos reservatórios com capacidade de cinco mil litros que serão instalados em vários bairros nos seus pontos de atendimento de água por via das cisternas, o que permitirá aumentar o número de viagens por camionistas.

No quadro de acções em torno da reactivação do fornecimento do “precioso líquido” por via da rede pública, o destaque recai para os bairros Zona Verde 1 e Km 9 B, em Viana, onde se desenvolvem intensos trabalhos que poderão culminar com resultados positivos ainda este ano.

Identificadas estão de igual modo soluções para abastecimento regular de água às Centralidades do Kilamba e Sequele, cujos acessórios estão em vias de aquisição, podendo também neste ano se inverter o quadro naquelas centralidades.  

Em resposta a solicitação do Ministério da Educação, o Ministro Baptista Borges, orienta o seu elenco a proceder brevemente ao levantamento do número de Escolas fora da cobertura da rede de luz e água, para que de acordo a especificidade de cada uma se encontrar soluções adequadas para o seu atendimento uma acção que deverá começar por Luanda.  

Além dos bairros, essa água tem garantido também o normal funcionamento de hospitais, centros de saúde, morgues, estabelecimentos prisionais, centros de quarentena e bairros desprovidos de rede.

Na reunião, o ministro João Baptista Borges reiterou a necessidade da população redobrar vigilância aos actores envolvidos no programa, denunciando toda é qualquer infracção no processo de entrega de água.  

No quadro desse programa, desde segunda-feira que o Ministério melhorou a distribuição gratuita de água potável às populações de zonas desprovidas de rede pública nas localidades do Cabo Ledo, Icolo e Bengo, Capalanca, Estalagem, Mayé Mayé, Sossego, Morro Bento, Mundial, Sapú, Grafanil e demais zonas da cidade capital.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.