República Checa autoriza viagens ao estrangeiro

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Governo da República Checa acelerou o levantamento das restrições impostas para controlar a pandemia associada ao novo coronavírus, autorizando nomeadamente todas as viagens ao estrangeiro.

Desde as 00:00 de hoje “é possível viajar para o estrangeiro, inclusivamente para férias”, anunciou o ministro da Saúde, Adam Vojtech, no final de uma reunião do Conselho de Ministros na quinta-feira à noite.

Ao regressarem ao país, os checos devem apresentar um teste negativo para coronavírus feito no máximo quatro dias antes ou submeter-se a uma quarentena de 14 dias.

Apesar desde anúncio, o Ministério dos Negócios Estrangeiros checo mantém a recomendação de limitar as viagens ao estrangeiro ao essencial, segundo a Rádio Praga.

A par desta reabertura oficial das fronteiras, a República Checa está a negociar acordos bilaterais com a Croácia, Alemanha, Áustria e Eslováquia para permitir que os seus cidadãos viagem para férias nesses países.

O Governo checo decidiu na quinta-feira aliviar várias restrições que estavam em vigor, mantendo embora a obrigação de uso de máscara, o distanciamento social e a proibição de reuniões de mais de 10 pessoas, e não duas, como até agora.

Segundo o ministro, os checos podem voltar a sair à rua e a deslocar-se dentro do território nacional.

Até agora, a população apenas podia sair para trabalhar, comprar bens essenciais, visitar familiares ou ir ao médico, ao abrigo do confinamento geral decretado a 12 de março.

Praga justifica o levantamento de medidas com os dados epidemiológicos positivos e a descida do número de contágios no país em três dias consecutivos, apesar do aumento da realização de testes.

A decisão foi tomada, no entanto, no mesmo dia em que um tribunal municipal considerou ilegais as medidas de restrição da liberdade de movimentos e de suspensão das atividades comerciais, argumentando que elas não podiam ser tomadas pelo Ministério da Saúde, mas pelo gabinete de crise do Governo, e dando ao executivo até segunda-feira para aprovar as medidas em conformidade com a decisão e com a lei.

O secretário de Estado da Saúde, Roman Prymula, admitiu hoje à emissora pública nacional Radiozurnal que o alívio das restrições também se relaciona com “razões de constitucionalidade”.

A República Checa, com 10,65 milhões de habitantes, regista 7.138 casos de infeção e 210 mortes associadas à covid-19, segundo números oficiais de quinta-feira.

Surgido em dezembro na China, o vírus SARS-CoV-2 espalhou-se por 193 países e territórios, tendo já infetado mais de 2,6 milhões de pessoas, 190 mil das quais morreram.

A Europa é a região do mundo mais afetada, com mais de 116 mil mortos e mais de 1,3 milhões de casos.

Itália (25.549 mortos, em quase 190 mil casos), Espanha (22.524 mortos, quase 220 mil casos), França (21.340 mortos, mais de 155.800 casos) e Reino Unido (18.738 mortos, mais de 138 mil casos) são os países europeus mais afetados.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.