Liga alemã de futebol aguarda autorização para regressar em 09 de maio

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A liga alemã de futebol, suspensa devido à pandemia da covid-19, prepara-se para regressar em 09 de maio, caso as autoridades do país o autorizem, anunciou hoje o presidente da Liga de clubes, Christian Seifert.

O anúncio do dirigente acontece no dia em que os 36 clubes das duas principais ligas – primeiro e segundo escalões -, se reuniram para decidirem qual o caminho a seguir em relação às competições profissionais.

“Se os governadores dos estados e o governo federal decidirem que esse dia [do regresso] será em 09 de maio, então estaremos preparados em 09 de maio”, referiu o dirigente, explicando que os jogos terão um limite de 213 pessoas no estádio e 109 nas imediações.

Os governantes dos estados da Baviera e da Renânia do Norte-Vestfália já indicaram que a data é aceitável, mas responsáveis de outras regiões assinalaram que preferem meados do mês ou mesmo o final de maio.

Sem a presença de público, a ‘Bundesliga’ poderá, assim, ser o primeiro entre os principais campeonatos europeus a retomar a atividade, depois de estar suspensa desde o fim de semana de 07 e 08 de março devido à pandemia.

Em 16 de março, a Liga de clubes alemã começou por suspender os campeonatos até 02 de abril e, já no final de março, dilatou essa suspensão para 30 de abril, devido à crise sanitária existente em todo o mundo.

Na primeira semana de abril, alguns clubes recomeçaram os treinos, ainda que de forma condicionada e em pequenos grupos, entre os quais o campeão Bayern Munique, Eintracht Frankfurt, Wolfsburgo, Leipzig e Borussia Dortmund.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 183 mil mortos e infetou mais de 2,6 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Cerca de 700 mil doentes foram considerados curados.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

 Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram entretanto a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria, Espanha ou Alemanha, a aliviar algumas das medidas.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.