Cabo Verde lança aplicações digitais para apoiar cidadãos e empresas

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Governo de Cabo Verde apresentou hoje duas aplicações digitais, desenvolvidos por jovens cabo-verdianos, para apoiar os cidadãos e as empresas durante este período de pandemia de covid-19 no arquipélago.

Uma dessas plataformas, denominada ‘ComVida’, é uma aplicação móvel cujo principal objetivo é ser um canal de proximidade entre o cidadão e a autoridades nacionais responsáveis pela saúde.

Desenvolvido por diversas empresas cabo-verdianas e com apoio técnico da Núcleo Operacional da Sociedade de Informação (NOSi), parceria das Nações Unidas em Cabo Verde, a ‘ComVida’ será um canal de aproximação entre o cidadão e as autoridades nacionais responsáveis pela saúde.

Esta plataforma destina-se às várias estruturas do Estado: proteção civil, hospitais e centros de saúde, estruturas de saúde, supervisão e inspeção de atividades económicas, gestores de saúde pública, empresas e ainda aos cidadãos, que terão acesso rápido no telemóvel a todas as informações sobre a covid-19.

A aplicação permite ao cliente cadastrar de forma rápida, efetuar rastreio e registo de proximidade, reportar sintomas, submeter denúncias de situações anormais e ainda ter acesso às comunicações oficiais de várias entidades cabo-verdianas.

O secretário de Estado para a Inovação e Formação Profissional cabo-verdiano, Pedro Lopes, destacou as funcionalidades desta aplicação, como possibilidade de fazer o pedido de autorização para circulação e a pré-inscrição no rendimento social.

“É possível várias funcionalidades que estão ao serviço dos cabo-verdianos, o ‘site’ está cada vez mais completo e, acima de tudo e é importante dizer, que foi feito por guerreiros digitais, pessoas que são ligadas à área do digital e que assumiram a linha da frente e mostraram o seu serviço e qualidade ao país”, afirmou o governante.

Por sua vez, o ‘MedidasCovid19’ é um portal informativo da Pro-Empresa, com as medidas de apoio às empresas e proteção social criadas pelo Governo de Cabo Verde.

“Esta plataforma digital foi montada com o intuito de ser mais um importante meio facilitador no processo de auxílio às medidas de reforço do Estado para as empresas e cidadãos nesta complexa fase que o mundo atravessa e com especial impacto em Cabo Verde”, segundo nota do Governo.

O ‘MedidasCovid19’ vai disponibilizar em tempo real as informações relativamente a questões como as moratórias, as linhas de crédito disponibilizadas pelo Governo, bem como questões relacionadas com as suspensões de contratos de trabalho, rendimento solidário, benefícios fiscais e subsídio de desemprego.

A página vai disponibilizar ainda informações sobre isenção de pagamentos do Instituto Nacional de Previdência Social (INPS), IVA e retenção na fonte, entre outras soluções que foram criadas, sobretudo com o objetivo de minimizar os impactos negativos no rendimento das pessoas e diminuir situações de risco que terão efeito imediato no aumento do desemprego.

Durante a apresentação, na cidade da Praia, Pedro Lopes disse que o objetivo foi centralizar todas essas informações, já que apesar de serem lançadas há já algum tempo, ainda muitos operadores não tinham o seu total conhecimento.

“Mais do que informações, é o acompanhamento do que está a ser feito”, enfatizou o secretário de Estado, sublinhando, mais uma vez, o trabalho dos jovens cabo-verdianos.

“Eles vão ter que estar na linha da frente, no momento em que a transição digital vai chegar de qualquer forma”, perspetivou Pedro Lopes.  

Cabo Verde regista atualmente 82 casos de covid-19, distribuídos pelas ilhas da Boa Vista (52), Santiago (29) e São Vicente (01).

Um dos casos da Praia (Santiago) já foi considerado como recuperado da doença e o primeiro caso do país, confirmado em 19 de março, na ilha da Boa Vista, terminou na morte de um turista inglês, de 62 anos.

Desde sábado que está em vigor um segundo período de estado de emergência em Cabo Verde, decretado pelo Presidente da República, Jorge Carlos Fonseca, mantendo-se suspensas as ligações interilhas, sem ser conhecido qualquer prazo para revogação da medida.

A declaração do atual estado de emergência prevê para as ilhas da Boa Vista, Santiago e São Vicente, todas com casos de covid-19, que permaneça em vigor até às 24:00 de 02 de maio. Nas restantes seis ilhas habitadas, sem casos diagnosticados de covid-19, a prorrogação do estado de emergência é mais curto, até às 24:00 de 26 de abril.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou perto de 184 mil mortos e infetou mais de 2,6 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Cerca de 700 mil doentes foram considerados curados.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.