Ministra sul-africana condenada a pagar multa por violar confinamento

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A ministra das Comunicações e das Tecnologias Digitais da África do Sul, Stella Ndabeni-Abrahams, declarou-se culpada face às acusações de que terá violado o confinamento, tendo pago uma multa de mil rands (48,88 euros), noticia hoje a imprensa local.

Segundo o diário sul-africano The Citizen, a ministra sul-africana deverá apresentar-se no tribunal de Pretória em 22 de maio para pagar a multa.

No início do mês, a ministra tinha sido já suspensa por dois meses, sendo que num deles não iria receber qualquer remuneração.

Segundo o porta-voz da procuradoria nacional da África do Sul, Phindi Mjonondwane, citado pela mesma fonte, a ministra tem agora um registo criminal.

Em causa está um almoço entre a ministra e o antigo deputado do Congresso Nacional Africano Mduduzi Manana, na casa deste.

Manana partilhou uma foto dos dois com a sua família, tendo originado críticas e pedidos de demissão da ministra entre a população.

Após lhe ter comunicado a suspensão à ministra, o Presidente do país, Cyril Ramaphosa, instou Ndabeni-Abrahams a emitir um pedido de desculpas à nação, algo que foi divulgado no mesmo dia.

“O confinamento nacional pede um cumprimento absoluto por todos os sul-africanos. Membros do executivo têm uma responsabilidade especial de estabelecerem um exemplo para os sul-africanos, que têm de fazer grandes sacrifícios”, disse Ramaphosa.

Ramaphosa disse estar satisfeito por Ndabeni-Abrahams “reconhecer a gravidade do que fez e que ninguém está acima da lei”.

Uma investigação das forças policiais sul-africanas entendeu que os motivos da visita da ministra a casa de Manana não estão compreendidos entre as razões essenciais determinadas pelo estado de confinamento, que incluem a entrega de serviços essenciais, a aquisição de bens essenciais ou a procura ou realização de cuidados médicos.

Até à data, as autoridades registaram 3.300 casos de contaminação no país, incluindo 58 mortes.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 178 mil mortos e infetou mais de 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 583 mil doentes foram considerados curados.

O continente africano regista mais de 23.500 casos em 53 países desde o início da pandemia, incluindo mais de 1.150 mortes.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Lusa

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.