Covid-19: Saúde cadastra famílias do grupo de risco

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Gabinete Provincial de Saúde da Huíla está a cadastrar pessoas do chamado grupo de risco em bairros da cidade do Lubango, com vista a conhecer o histórico sanitário.

Trata-se de um processo que procura encontrar zonas para a instalação de eventuais hospitais satélites em caso de registo da pandemia da covid-19, assim como buscar indicadores sobre a real situação sanitária nas comunidades mais habitadas do Lubango.

 Pretende-se, com a acção que teve inicio há uma semana, cadastrar pessoas com histórico de hipertensão, cardíaco e diabetes, com o objectivo de definir a rede primária de saúde, para que os casos cheguem somente aos hospitais de referência após um primeiro contacto nas unidades das comunidades.

A informação foi hoje, segunda-feira, prestada à Angop pelo coordenador da actividade, Evaristo Samuel, frisando que no âmbito das medidas de contenção contra a propagação da pandemia estão a identificar as zonas para a implementação de unidades sanitárias.

Foram identificados os bairros Sofrio, Rio Capitão, Mapunda, Namambe, Mitcha, sector do Toco, assim como as comunas da Quilemba e da Huíla como locais para acolher as unidades hospitalares específicas.

Até à presente data foram cadastradas 549 pessoas no bairro Sofrio, 689 no Rio Capitão, 663 em Mapunda,  639 em Nambambe, 559 em Mitcha, 466 em Toco, 4.627 na comuna da Quilemba e 577 na da Huíla.

A rede sanitária da Huíla é composta por quatro hospitais provinciais, 74 centros médicos e 188 postos de saúde, acumulando 2.319 camas, assegurada por 169 médicos, entre nacionais e expatriados e três mil e 334 enfermeiros para atender cerca de 2.497.422 habitantes.

Angop

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.