Trump acusa novamente a China de dissimular número de mortos

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O Presidente dos Estados Unidos voltou a criticar a China, na sexta-feira, ao afirmar que o número de mortos causados pela covid-19 era “bem mais elevado” do que o indicado pelas autoridades chinesas

A China, que reviu em alta o número das vítimas mortais, negou qualquer dissimulação, numa altura em que o balanço mundial da pandemia ultrapassa os 153 mil mortos.

“A China anunciou o dobro do número de mortos causados pelo Inimigo Invisível. É muito mais elevado do que isso e muito mais elevado do que o dos Estados Unidos!”, escreveu Donald Trump na rede social Twitter.

Mais tarde, na conferência de imprensa diária, Trump afirmou que, além da revisão dos números da cidade chinesa de Wuhan, centro do surto do novo coronavírus em dezembro passado, os números para toda a China deviam ser muito mais elevados.

A administração norte-americana tem acusado, nas últimas semanas, o regime chinês de “ter dissimulado” a gravidade da epidemia da covid-19, doença identificada no final de 2019, em Wuhan, no centro da China.

“Nunca houve qualquer dissimulação e nunca autorizaremos qualquer dissimulação”, garantiu um porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros chinês.

Zhao Lijian reconheceu “atrasos e omissões” no registo das vítimas mortais da covid-19, considerando que as autoridades chinesas tiveram uma “resposta irrepreensível” à crise sanitária no país.

Na sexta-feira, as autoridades chinesas anunciaram que mais 1.290 pessoas morreram em Wuhan, o que eleva o número total de óbitos locais para 3.869. Com esta atualização, o número de vítimas mortais na China subiu para 4.632.

Estes casos não tinham sido ainda contabilizados nas estatísticas oficiais porque, no auge da epidemia na cidade, alguns pacientes morreram em casa, sem terem sido atendidos nos hospitais, então sobrelotados, afirmaram.

Os números oficiais só incluíam, até aqui, mortos nos hospitais, indicaram, na nota difundida nas redes sociais.

Em quase todos os países europeus e nos Estados Unidos, a taxa de letalidade é superior a 10%, quase o dobro do registado pela China, mesmo com esta atualização das autoridades de Wuhan.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 153 mil mortos e infetou mais de 2,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 483 mil doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (mais de 36 mil) e mais casos de infeção confirmados (mais de 700 mil).

Seguem-se Itália (mais de 22 mil mortos, em 172 mil casos), Espanha (19 mil mortos, 188 mil casos), França (18 mil mortos, 147 mil casos), Reino Unido (14 mil mortos, 108 mil casos) e Bélgica (5.163 mil mortos, 36 mil casos).

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa quatro mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.