Mancini diz que adiamento do Euro2020 é benéfico para a Itália

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

O selecionador de Itália, Roberto Mancini, afirmou hoje que o adiamento do Euro2020 de futebol devido à pandemia é benéfico para a sua equipa e coloca a ‘squadra azzurra’ entre os candidatos a conquistar a competição.

“Somos das seleções mais jovens e, por isso, um ano faz muita diferença. Vamos melhorar nesse período em termos de experiência, mas também taticamente e tecnicamente. Temos uma equipa forte que vai jogar para vencer. Vencer o Europeu pela primeira vez de 1968 seria magnifico. E temos qualidade para isso. Podemos vencer”, disse Mancini, em entrevista ao site italiano Sportmediaset.

A fase final do Euro2020, que vai decorrer pela primeira vez em 12 cidades de 12 países, estava marcado para junho e julho deste ano, mas acabou por ser adiado para 2021, entre 11 de junho e 11 de julho, devido à pandemia da covid-19.

Apesar de assumir que a Itália “está a criar uma equipa nova”, Mancini não fechou a porta a jogadores mais velhos, como por exemplo o avançado Mario Balotelli, que não é chamado desde 2018.

“Se ele pensar apenas no futebol e fizer o que tem a fazer, as portas estão abertas. Para ele e para muitos outros. O Mario tem qualidades importantes. Depende apenas dele”, explicou o técnico de 55 anos.

O antigo avançado mostrou-se ainda contra um possível cancelamento da Serie A, devido à pandemia, e à entrega do título à Juventus.

“A Juventus está na frente, mas tudo pode acontecer. Inter e Atalanta podem entrar na corrida. Quando se para durante tanto tempo, tudo pode acontecer. Tudo pode mudar”, disse.

No Euro2020, a Itália vai disputar o Grupo A com Turquia, Suíça e País de Gales, num agrupamento em que jogará sempre em casa, no Estádio Olímpico de Roma.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 154 mil mortos e infetou mais de 2,2 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 497 mil doentes foram considerados curados.

A Itália é o país na Europa com mais vítimas mortais, 23.227 em mais de 175 mil casos confirmados de infeção.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.