Angola recebeu hoje duas toneladas de material sanitário

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Duas toneladas de equipamento sanitário e de biossegurança chegaram esta sexta-feira a Angola para reforçar a prevenção e conter a expansão do novo coronavírus (covid-19) no país, numa acção solidária da fundação chinesa Jack Ma.

Entre vários materiais doados, destacam-se 10 ventiladores, três mil e 700 fatos de biossegurança, três mil e 800 protectores faciais, 10 mil e 23 máscaras N95 para técnicos de saúde, nove mil e 500 luvas médicas, 36 termómetros laser digitais, 18 mil e 912 kits de extracção, bem como 18 mil e 900 zaragatoas para colheita de amostras.

Trata-se da segunda doação de material sanitário do empresário chinês Jack Ma, destinada para todos os países africanos, sendo que na primeira fase (26 de Março último) Angola recebeu 20 mil testes de diagnóstico laboratorial, 100 mil máscaras médicas, mil roupas de protecção e escudos, entre outros meios.

Além dessas doações, o Governo Angolano vai continuar a adquirir vários equipamentos médicos para a concretização do Plano de Contingência à covid-19, segundo o secretário de Estado para Saúde Pública, Franco Mufinda, que falava à imprensa hoje, no Aeroporto Internacional 4 de Fevereiro, após o acto de recepção do material doado.

O dirigente avançou que o país vai receber, na próxima semana, 350 ventiladores, 100 mil fatos de protecção individual dos profissionais de saúde, nove milhões de máscaras, cinco milhões de comprimidos de cloroquina e igual número de azitromecina, que o Governo comprou na China.

Actualmente, Angola possui pelo menos 190 ventiladores, numa necessidade de 600 previstos, de acordo com Franco Mufinda.

Na ocasião, o secretário de Estado para a Cooperação Internacional e Comunidades Angolanas do Ministério das Relações Exteriores (Mirex), Domingos Vieira Lopes, afirmou que para além da China, Angola também conta com apoio das Nações Unidas, União Europeia e outras instituições que têm vontade de ajudar o país a conter a pandemia.

Por sua vez o embaixador da China em Angola, Gong Tao, assegurou que o seu país vai continuar de mãos dadas com Angola, apoiando nos momentos bons e maus, no âmbito da cooperação bilateral entre ambos os países.  

Tranquilizou que a comunidade angolana na China está saudável e protegida, elogiando o contributo que os estudantes angolanos deram no controlo da covid-19 na cidade de Wuhan, onde começou a pandemia, em Dezembro último.

“Os estudantes angolanos na China, em conjunto com o povo chinês, foram considerados verdadeiros heróis do combate à covid-19, tendo em conta a autodisciplina apresentada durante o Estado de Emergência que o país asiático viveu”, afirmou.

Angola continua com 19 casos positivos confirmados, dos quais dois mortos, cinco recuperados e 12 activos.

Para se prevenir e combater a covid-19, Angola observa, desde às 00h00 de sábado (11 de Abril), um novo período de Estado de Emergência, que deve vigorar até às 23h59 do dia 25 de Abril.

Trata-se da prorrogação dos primeiros 15 dias do regime excepcional, decretado pelo Presidente da República, a 27 de Março último, para conter a proliferação da covid-19.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.