Angola recebe segunda doação conjunta de Jack Ma e o Primeiro-ministro da Etiópia

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

A segunda doação de material médico diverso destinado a Angola, para fazer face à pandemia da covid-19, chega nesta quinta-feira a Luanda.

O donativo, que será transportado em voo charter da Ethiopian Airlines, surge na sequência da iniciativa conjunta do Primeiro-Ministro Abiy Ahmed, e do bilionário chinês, Jack Ma, presidente das fundações Jack Ma e Alibaba.

O lote contempla 10 ventiladores, 18.900 cotonetes e meios de transporte viral, 18.912 kits de extracção, 10.023 máscaras N95, 10.800 protectores faciais, 9.500 luvas médicas, 3.700 roupas de protecção médica descartáveis e 36 termômetros laser.

A primeira fase da doação médica feita pelas duas organizações filantrópicas chinesas, realizada recentemente, estendeu-se a 54 países africanos, tendo chegado a Angola, a 26 de Marco último, 20 mil testes de diagnóstico laboratorial, 100 mil máscaras médicas, mil roupas de protecção e escudos, entre outros meios.

Paralelamente à referida iniciativa, a União Africana (UA) tem envidado esforços para fazer face à covid-19, destacando-se a realização, a 9 de Abril, de uma teleconferência da Mesa do Conselho Executivo da UA, convocada pela presidente em exercício deste órgão, Naledi Pendor, ministra das Relações Internacionais e da Cooperação da África do Sul.

Os ministros recomendaram as medidas tomadas pelo Presidente da Comissão da UA, Faki Mahamat, no sentido de pôr em prática todos os requisitos legais necessários para a operacionalização do Fundo da União Africana de Resposta à covid-19.

Nesse contexto, os seus membros, nomeadamente África do Sul, RDC, Egipto, Quénia e Mali estão em vias de transferir um montante total combinado de 17 milhões de dólares, como capital inicial, tanto para o Fundo quanto para o África CDC (Centro de Controlo e Prevenção de Doença), da seguinte forma: 12,5 milhões de dólares para o Fundo, e 4,5 milhões de dólares para o África CDC.

Os ministros instaram os Estados-Membros a dar contribuições para o Fundo e para o África CDC, e salientaram que o Fundo Africano de Combate à COVID-19 é uma iniciativa pan-africana que deverá mobilizar recursos financeiros a serem distribuídos, equitativamente, pelos Estados Membros, para apoiar o combate de África contra o vírus.

A mesa manifestou o seu apreço e apoio inequívoco à declaração do Presidente da UA e Chefe de Estado da África do Sul, Cyril Ramaphosa, afirmando o apoio da UA à Organização Mundial de Saúde (OMS).

Participaram na teleconferência os membros da Mesa, designadamente Marie Tumba Nzeza, ministra dos Negócios Estrangeiros da RDC, Sameh Shoukry, do Egipto, Rachelle Omano, ministra dos Negócios Estrangeiros do Quénia; e Tiébilé Dramé, ministro dos Negócios Estrangeiros e Cooperação Internacional do Mali.

Tomaram igualmente parte o Presidente da Comissão da UA, Moussa Faki Mahamat, a Comissária da UA para os Assuntos Sociais, Amira El Fadil, e o Director do Centro Africano de Controlo e Prevenção de Doenças (Africa CDC), John Nkengasong.

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on pinterest
Share on email

Designed by nzaylakasesa,lda.