Declarações de Tchizé devem ser tratadas em fórum parlamentar – MPLA

ANGOP

O presidente do grupo parlamentar do MPLA, Américo Cuononoca, afirmou que as declarações da deputada Welwitschea “Tchizé” dos Santos devem ser tratadas na perspectiva do Parlamento.

Deputada e membro do Comité Central do MPLA, Tchizé dos Santos defendeu a destituição do Presidente de República, João Lourenço, alegando que o Chefe de Estado está a fazer um “golpe de Estado às instituições” do país.

Para Américo Cuononoca, que falava à Rádio Nacional de Angola (RNA), os deputados são guiados pelo respeito à Constituição, ao Regimento Interno da Assembleia Nacional (AN) e Estatuto dos parlamentares.

“Esse assunto deve ser tratado pela AN. Como militante do MPLA temos a Comissão de Disciplina e Auditoria”, disse relativamente ao pronunciamento da deputada que está fora do país há mais de 90 dias, tempo superior ao regulamentado.

Desde Londres, Reino Unido, onde se encontra, a filha do ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, disse que está fora de Angola porque teme pela sua vida.

Na sequência do pronunciamento da deputada, o maior partido da oposição em Angola (UNITA) considerou haver “indicação que o partido no poder está profundamente dividido”.

Para o secretário do MPLA para os Assuntos Políticos Eleitoras, Mário Pinto de Andrade, as insinuações da UNITA não se colocam no seu partido, acrescentando que o MPLA possui mecanismos para discutir os problemas internos.

Mário Pinto de Andrade afirmou que o pronunciamento de Tchizé dos Santos não abala o MPLA.

O dirigente descartou uma eventual tendência de se criar uma corrente no MPLA, argumentado de forma irónica que “uma pessoa não faz corrente, nem faz faísca”.

O dirigente referiu que se Tchizé dos Santos tem algo a dizer deve regressar a Angola e discutir esses assuntos na reunião do Comité Central (MPLA) ou no Parlamento.

Partilhe