Exames de ADN confirmam ossadas de Jonas Savimbi

O País

Partilhe

“Não confirmo, nem desconfirmo esta informação, o que lhe posso adiantar é que amanhã estaremos reunidos para analisar este processo e só depois iremos fazer um comunicado à opinião pública”, disse Alcides Sakala. As exéquias de Jonas Savimbi, líder histórico da UNITA, inicialmente previstas para o princípio deste mês de Abril, tinham sido adiada até que fossem conhecidos os resultados das análises de ADN. Manuel Saviehemba, membro da Comissão Nacional das Exéquias, afirmou estarem mais próximos da realização do funeral, embora se tenha recusado a avançar com a confirmação dos exames, por entender ser isso da responsabilidade do presidente do partido, Isaías Samakuva.

“ Vamos ter calma, só para depois não virem dizer que falou antes do nosso mais velho. Vamos esperar amanhã, vamos levar a público toda a informação importante” referiu Savihemba, para quem, neste momento, os entraves por ultrapassar serão o melhoramento e alargamento das vias de acesso a aldeia de Lopitanga/ Andulo (Bié) e questões de acomodação e logística para os milhares de convidados nacionais e estrangeiros. A família está expectante com esta abertura, o que não aconteceria no consulado de José Eduardo dos Santos, informou um dos familiares.

A cerimónia de exumação e recolha de amostras dos restos mortais do líder fundador da UNITA, morto em combate a 22 de Fevereiro de 2002, realizou-se a 31 de Janeiro no Luena, província do Moxico, onde estava sepultado desde a sua morte. No início de Janeiro, o Governo angolano garantiu estarem criadas as condições para a exumação dos restos mortais de Jonas Savimbi, porém, alertou que o funeral não teria honras de Estado, uma vez que o antigo presidente da UNITA “não pertencia à família governamental quando faleceu”, ou a qualquer órgão do Estado. Após 17 anos da sua morte, as cerimónias fúnebres de Jonas Savimbi estão previstas para ter lugar na localidade de Lopitanga, arredores do município do Andulo, província do Bié, onde igualmente repousam os restos mortais dos ancestrais da família de Savimbi.

Os preparativos

A par da construção do local onde vão ficar depositados em definitivo os restos mortais de Savimbi, estão a ser realizadas obras de requalificação das estradas que dão acesso às localidades de Chilesso e Lopitanga, porque se prevê uma grande afluência de pessoas para as cerimónias fúnebres, e as imediações do cemitério estão a ser passadas a pente fino por equipas de desminagem, de forma a evitar acidentes com engenhos explosivos que possam ter permanecido no local desde o conflito armado. O actual município do Andulo e as localidades de Lopitanga e Chilesso, foram duramente fustigados durante o conflito armado, especialmente aquando do chamado cerco à cidade do Cuito pelas tropas da UNITA, após as eleições de 1992, tendo a região sido fortemente minada na altura. O presidente da UNITA, Isaías Samakuva, visitou o local em Fevereiro para verificar o que está a ser preparado para acolher as cerimónias fúnebres do líder fundador do partido, na aldeia de Lopitanga, em cujo cemitério repousam os restos mortais dos antepassados de Jonas Malheiro Savimbi. Recorde-se que os restos mortais de Savimbi, sepultados no cemitério de Luena, capital do Moxico, foram exumados no passado dia 1 de Fevereiro.

Facebook Comments

Partilhe