Venezuela vive “pior crise da história moderna” da América Latina

Lusa

Partilhe

O Banco Mundial (BM) considerou hoje que a Venezuela vive a “pior crise da história moderna” da América Latina, prevendo que o seu Produto Interno Bruto (PIB) vá contrair 25%, depois de uma queda de 17% em 2018.

“Nada podia preparar a região para a escalada da crise económica, social e humanitária na Venezuela, de longe a pior crise na história moderna da região”, referem os especialistas do BM no relatório semestral sobre as previsões de crescimento para a região da América Latina e Caraíbas.

O BM considera que as condições socioeconómicas na Venezuela continuam a deteriorar-se rapidamente devido a uma queda do preço do petróleo, a políticas “altamente distorcidas” do Governo, a um ajuste fiscal desordenado e a uma má gestão económica.

“Estes fatores causaram uma hiperinflação, desvalorização e uma contração no produto e no consumo”, salientou o Banco Mundial.

O PIB real da Venezuela contraiu 17,7% em 2018 e deverá cair 25% em 2019, de acordo com a previsão do BM, o que implicaria uma queda acumulada do PIB de 60% desde 2013.

A análise do BM também citou estimativas de fontes não oficiais, que avançam que a pobreza atingiu 90% da população venezuelana.

Excluindo a Venezuela, o Banco Mundial prevê que a região da América Latina e Caraíbas cresça 1,9% em 2019 e 2,7% em 2020.

Facebook Comments

Partilhe