Angola Telecom numa situação de (quase) insolvência

Mercado

A empresa pública de telecomunicações e multimédia de Angola (Angola Telecom) está atravessar uma profunda crise, devido a falta de investimentos, dívidas acumuladas e falta de pagamentos dos seus principais clientes, que rondam os 5 mil milhões Kz.

No seu 27º aniversário, a comissão interina de gestão, fez um balanço da actividade que vem desenvolvendo, lembrando que muitos dos problemas vivenciados pela empresa nos dias de hoje apenas poderão ser ultrapassados depois da privatização de 45% do seu capital.

Bartolomeu Pereira, membro da comissão de gestão salientou que o processo de privatização da Angola Telecom vai arrancar este ano, estando neste momento a decorrer o processo de avaliação do património e activos da empresa.

Referiu que o investidor vai encontrar um activo fundamental na Angola Telecom, que é o capital humano, investimentos feitos pelo Estado na ordem dos 80 milhões USD, licença para telefonia móvel, presença em todo território nacional, infra-estruturas físicas, podendo oferecer soluções sem fios e outros segmentos de negócios.

Nesta altura, uma das maiores fontes de receita da Angola Telecom é a venda de serviços e de capacidade para os outros operadores, que têm acumulado pagamentos em atraso, sendo que os demais operadores de telecomunicações utilizam os serviços da empresa nas localidades onde dispõe de infra-estruturas.

Cinco mil milhões de kwanzas é o valor acumulado da dívida que empresas públicas e privadas contraíram à empresa de telecomunicações Angola Telecom, informou hoje, em Luanda, o membro da comissão interina de gestão da empresa Bartolomeu Pereira.

Ao falar em conferência de imprensa, alusiva ao 27º aniversário da Angola Telecom, sublinhou que neste momento tem estado a negociar com os clientes, para reaver os valores em falta, para que o processo seja concluído antes do início da privatização da empresa.

Bartolomeu Pereira informou que a empresa tem na sua base de dados 50 mil clientes, mas apenas 20 mil pagam pelos serviços prestados.

Partilhe