Instrutor dos Bombeiros espanca jornalista da RNA até à morte

NJ

Partilhe

Luanda – Uma jornalista da Rádio Nacional de Angola foi assassinada pelo próprio marido, que já se encontra detido, segundo o director de comunicação do Ministério do Interior, intendente Mateus Rodrigues.

Maria Goreth Semedo, jornalista da Rádio Nacional de Angola, de 49 anos, foi morta pelo marido, instrutor dos Serviços de Bombeiros, quando ambos regressavam de uma festa de aniversário, na madrugada de terça-feira, 19, no município de Viana em Luanda. O crime ocorreu no Zango 4, na rua Vila Chicala.

De acordo com o director de comunicação do Ministério do Interior, intendente Mateus Rodrigues, o Serviço de Investigação Criminal (SIC) e a Polícia Nacional tiveram contacto com esta ocorrência por meio de pessoas que assistiram e denunciaram o caso.

“A Polícia Nacional, no município de Viana, deteve, ontem, um cidadão de 50 anos de idade, instrutor dos Serviço de Protecção Civil e Bombeiros (SPCB), implicado na morte de uma Jornalista da RNA de 49 anos”, disse o oficial. 

Mateus Rodrigues salientou que o acusado foi hoje entregue ao Ministério Público (MP) e já foi legalizada a sua prisão. “O caso neste momento segue os devidos procedimentos legais junto do Ministério Público. A prisão do acusado foi legalizada depois do mesmo ter sido ouvido no primeiro interrogatório pelo magistrado do MP junto do Serviço Provincial de Investigação Criminal (SPIC)”, explicou.

A irmã mais nova da vítima, Teresa Semedo, disse que Maria Goreth Monteiro Semedo, naquela noite, estava a sair da festa de aniversário da sua segunda filha, que tinha completado 30 anos na segunda-feira,18. “Este senhor não tem filhos com a minha irmã. Quando começou o romance com a minha mana, já lhe encontrou com duas filhas”, disse, acrescentando que os familiares tiveram o conhecimento do óbito através da Polícia Nacional.

“Ele bateu na minha mana com intenção de matar, porque se não fosse para isso ele não devia ir à esquadra dizendo que bateu na mulher e pedindo ajuda porque a esposa estava desmaiada”, lamentou, sublinhando que quando os familiares chegaram ao local do crime encontraram madeiras partidas, blocos e cacos de loiça de vidro.

Teresa Semedo revelou que já foi feita a autópsia de Maria Goreth Monteiro Semedo, que revelou que Maria Semedo teve uma hemorragia interna na cabeça provocada pelas agressões. “Só queremos que a justiça seja feita”, pediu.

De acordo com a Polícia Nacional, nos últimos três dias foram registados três assassinatos de mulheres, todos em contexto de violência doméstica e em diferentes municípios da província de Luanda.

Facebook Comments

Partilhe