Igreja angolana apela à responsabilização dos agentes de degradação ambiental 30 jan 2019 15:11

Partilhe

A Conferência Episcopal de Angola e São Tomé (CEAST) e a organização não-governamental Mosaiko apelaram hoje ao Governo angolano para “intensificar” ações que permitam “identificar e responsabilizar” os principais agentes de degradação ambiental do país.

O posicionamento consta das recomendações da sexta edição da Semana Social de Angola, enviadas hoje à Lusa, nas quais as duas instituições defendem a punição dos agentes que se dedicam à desflorestação, caça indiscriminada e exploração desenfreada de recursos naturais.

Esta edição da Semana Social, promovida pelas duas instituições da Igreja católica angolana, decorreu em Luanda, entre 22 a 24 de janeiro, sob o lema “Desenvolvimento Sustentável”, tendo reunido participantes angolanos e estrangeiros para debaterem “alternativas e estratégias” de desenvolvimento sustentável e políticas de desenvolvimento do país.

Facebook Comments

Partilhe