Kundi Paihama e Cândido Van-Dúnem podem ser indiciados por desvios de fundo




Partilhar

Os ex-ministros dos Antigos Combatentes e Veteranos da Pátria Kundi Paihama (até 2014) e Cândido Van-Dúnem (até 2017), podem ser indiciados por desvios de fundo, após a denúncia pública feita pelo actual titular da pasta João Ernesto dos Santos Liberdade, segundo o qual nos últimos dez anos o ministério financiou projectos “um pouco por todo país” que não existem.

Ernesto Liberdade fez estas denúncias, nesta quarta-feira no Lubango, província da Huíla onde encontra-se em visita de trabalho de dois dias, no quadro de um processo de recadastramento de 311 cooperativas agrícolas formadas na última década e advogou a necessidade de se avaliar a questão e constatar, de facto o que se passou.

Contudo, está em curso um processo de recadastramento das cooperativas agrícolas em todas as províncias do país, embora em certos casos descobriu-se que, apesar de terem sido financiadas pelo ministério, não existe uma cooperativa como tal.

“As estatísticas indicam um registo de 311 cooperativas, sendo que na Huíla fala-se em 15, mas na realidade apercebi-me que existem apenas três, isso é crime, porque o governo injectou muito dinheiro para apoiar o programa de fomento agrícola e os valores suspeita-se que tiveram um destino diferente”, disse o ministro.

O ministro adiantou ainda que existem lavras individuais e pequenas associações, mas cooperativas como tal dos antigos combatentes não existem, “por isso estamos a constatar no terreno para reportar ao Presidente da República”.

Comentários do Facebook

Partilhar
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>