Oito corpos do acidente de Caimbambo ainda por identificar




Partilhar

Oito dos 18 cadáveres resultantes do acidente de viação ocorrido na Estrada Nacional nº 105, na zona de Katengue, município do Caimbambo (Benguela), aguardam ainda identificação por familiares, informou hoje, quarta-feira, a vice-governadora para a esfera Politica, Social e Económica, Deolinda Valiangula.

Segundo a responsável, que falava em conferência de imprensa, os corpos continuam em bom estado de conservação em morgues de diferentes unidades sanitárias desta circunscrição, sendo que quatro encontram-se na morgue do Centro de Saúde da Graça, dois no Hospital Municipal de Benguela, um na Catumbela e outro no Hospital do Lobito.

Conforme disse, a demora e dificuldades na identificação dos cadáveres pode estar ligada a brutalidade do acidente que os tornou irreconhecíveis, enquanto outros 10 corpos já identificados pelos familiares foram a enterrar nas províncias da Huíla e de Benguela.

“Neste âmbito, o Governo de Benguela transladou dois cadáveres adultos, dos quais um do sexo feminino e outro masculino para o município do Chongoroi, um outro também masculino para o município da Cacula (Huíla), dois masculinos para o município do Lubango, uma adulta e uma menor de dois anos (mãe e filha) para o município de Quilengues, um do sexo masculino sepultado no município do Lobito e outro em Chicomba (Huíla)”, disse.

Em contrapartida, anunciou ter recebido no seu gabinete mais uma família oriunda da província da Huíla com a pretensão de identificar o seu ente querido e, deste modo, verem reduzindo paulatinamente o número de cadáveres sob alçada do Governo de Benguela.

Na mesma ocasião, reiterou a disponibilidade do Governo Provincial em garantir as condições de alojamento para as famílias enlutadas, apoio psicológico e logístico, apelando as instituições eclesiásticas e organizações da sociedade civil e autoridades tradicionais a passarem a informação nas comunidades.

“Somos poucos para transfundir essa necessidade, tendo em conta o constrangimento em continuar com os corpos sob nossa responsabilidade, a julgar pelos custos com a conservação. Por enquanto, continuarmos a envidar esforços para conservá-los até que as famílias apareçam para identificá-los para que sejam sepultados com dignidade”, sublinhou.

Deolinda Valiangula relembrou que o Governo de Benguela mantém contacto permanente com as autoridades da províncias da Huila, Cuanza-Sul e Luanda.

Um miniautocarro de 30 lugares, proveniente da Huíla com destino a Luanda, colidiu no dia 03 de Outubro último com um camião contentorizado que se encontrava estacionado na berma da Estrada Nacional 105, na localidade do “Ninguiningui”, na zona de Katengue (Caimbambo), tendo provocado 18 mortos e 10 feridos, alguns dos quais já tiveram alta médica, enquanto outros recuperam no Hospital Geral de Benguela.

Comentários do Facebook

Partilhar
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>