Navio-hospital italiano no Lobito para assistência médica gratuita

Angop




Partilhar

Um navio-hospital de pequeno porte com bandeira italiana e cinco profissionais a bordo, entre os quais dois médicos, atracou nesta terça-feira, no porto do Lobito, província de Benguela, onde, durante dois meses, deverá prestar serviços médicos gratuitos a cerca de mil pacientes.

Segundo apurou a Angop, a chegada do navio-hospital, pela primeira vez, ao país, proveniente de São Tomé, resulta da cooperação e amizade entre a Associação italiana Elpis e a Cáritas de Benguela, para uma missão médica a favor das populações mais carentes, tanto do litoral da província, quanto do interior, com primazia para os municípios da Ganda e Cubal.

Para isso, a embarcação está equipada com um bloco operatório para cirurgias e sala para atendimento aos pacientes em várias especialidades médicas, como cirurgia, ginecologia-obstetrícia, internamento, cirurgia-plástica, cardiologia, estomatologia e urologia.

De acordo com Juan Carlos Húngaro, 62 anos, que chefia a missão médica italiana, a partir desta quarta-feira começam a juntar-se, de forma paulatina, mais profissionais à equipa. Primeiro, chega um ginecologista e um cardiologista. A seguir, deverão vir outros médicos como cirurgião, urologista, internista e cirurgião-plástico.

Aquele médico-cirurgião admite, no entanto, que a chegada desses profissionais para reforçar a equipa, entre os quais poderá incluir ainda um oftalmologista italiano, está dependente da agilidade na concessão de vistos de entrada a Angola.

Juan Carlos Húngaro, que se faz acompanhar de Paulo Rossi, médico-estomatologista italiano, calcula que, face à capacidade instalada no navio-hospital, é possível atender entre 40 a 50 pacientes e realizar cinco pequenas cirurgias por dia. Não obstante, a expectativa é atingir até mil pacientes durante a permanência na província.

O especialista disse estar optimista de que essa missão vai repercutir na melhoria da saúde dos angolanos, visto que os médicos italianos trazem consigo tecnologia avançada como serviços de raio-x que permite diagnosticar com precisão e rapidez os problemas dentários do paciente.

Ao mesmo tempo, afirmou que durante a estadia de 60 dias no Lobito, estão previstas acções de intercâmbio de experiências com médicos angolanos em relação à tecnologia usada no tratamento de várias doenças.

Por seu lado, a vice-governadora provincial de Benguela para o sector Político, Social e Económico, Deolinda Valiangula, na visita ao navio, agradeceu o gesto solidário dos profissionais italianos e garantiu todo o apoio necessário das autoridades locais para o êxito da missão médica e humanitária.

Além de prestar consultas no navio-hospital da ong Elpis, a partir da cidade do Lobito, a equipa, que prevê integrar dez médicos italianos, deslocar-se-á com o mesmo propósito primeiramente à Ganda e, de seguida, ao Cubal, em coordenação com as autoridades sanitárias e com a Cáritas de Benguela.

Depois de Angola, onde faz a sua primeira passagem, o navio-hospital com bandeira italiana seguirá para sul da costa Atlântica rumando ao Madagáscar, seu destino final onde, de acordo ainda com Juan Carlos Húngaro, há muitas necessidades de saúde à espera de respostas.

Antes de rumar para Angola, o referido navio escalou países da África Ocidental, nomeadamente Gâmbia, Gana e São Tomé e Príncipe.

Comentários do Facebook

Partilhar
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>