Espião-chefe dos EUA diverge de Trump sobre interferência eleitoral dos russos

LUSA

O diretor das Informações Nacionais, entidade que controla o conjunto das agências de informação dos EUA, Dan Coats, afirmou hoje que desejava que Donald Trump tivesse feito afirmações diferentes em Helsínquia, durante a cimeira com Vladimir Putin.

Na ocasião, Trump confirmou a versão russa de negação de interferência nas eleições presidenciais de 2016.

Mas Coats acentuou que estava apenas a fazer o seu trabalho quando emitiu rapidamente um comunicado, na segunda-feira, a refutar os comentários de Trump, que foram feitos durante a conferência de imprensa conjunta com Putin.

Coats reafirmou a avaliação dos serviços de informações norte-americanos, segundo a qual os russos interferiram nas eleições presidenciais norte-americanas e continuam a desenvolver “esforços generalizados para minarem a democracia nos EUA”.

O diretor das Informações Nacionais adiantou que pensa ser importante exprimir apoio aos profissionais das informações que representa.

As declarações de Coats foram feitas hoje durante um fórum sobre segurança, que decorre em Aspen, no Estado do Colorado.

Comentários do Facebook
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>