POLÍTICA

Servidores públicos devem abrir-se mais à comunicação social

Partilhar

O ministro da Comunicação Social, João Melo, recomendou hoje aos gestores públicos a manterem uma maior abertura à comunicação social, para que apreendam a conviver com a crítica e na diferença de opinião.

Ao falar no seminário subordinado ao tema “Harmonização da Comunicação Institucional e do Marketing no Sector dos Transportes”, co-organizado pelos ministérios dos Transportes e da Comunicação Social, o ministro fundamentou que a diferença de opinião favorece o debate de ideias e salvaguarda os interesses da nação.

Essa recomendação, segundo João Melo, assenta em dois compromissos ratificados pelo Presidente da República, João Lourenço, nas eleições de 2017, nomeadamente, garantir uma informação plural, isenta, aberta, independente e diversificada e estimular o respeito ao princípio da deontologia e ética profissional.

O governante disse que as instituições públicas, nesse novo contexto, vão enfrentar desafios em termos de cultura comunicacional e jornalística que os servidores precisam conhecer para lidar melhor e com mais eficácia com a comunicação social.

Em função da necessidade de as instituições abrirem-se mais, João Melo sugeriu aos gestorespara potenciar os gabinetes institucional de imprensa, planificar as acções de comunicação, recocorrer a agências e especialistas nacionais, prever uma verba nos orçamentos dos organismos para a comunicação e criar um gabinete de crise de comunicação, que integra no mínimo o principal gestor da instituição, do gabinete jurídico e o de comunicação.

Na sua intervenção, mais direccionada para o contexto actual que o país vive, o ministro sublinhou que todos os factos relevantes na sociedade, positivos ou negativos, devem ser noticiados.

João Melo, que procedeu à abertura do evento, dissertou sobre os desafios tecnológicos globais da comunicação do século XXI, que, segundo afirmou, geram um fenómeno simultaneamente “desafiador e perverso”.

O seminário, que teve por objectivo municiar os participantes de técnicas para uma melhor comunicação institucional de entidades governativas e empresariais, concretamente do sector dos transportes, contou também com uma dissertação do titular da pasta do Transportes, Augusto da Silva Tomás.

Na qualidade de titular da pasta dos Transportes e anfitrião do evento, Augusto da Silva Tomás, fez uma incursão pelo tema “Transportes, Logística e o Desenvolvimento Sustentável de Angola”.

Por seu turno, o secretário de Estado da Comunicação Social, Celso Malavoloneke, dissertou sobre o tema “A Comunicação de Crise”, num exercício que deixou bem claro os procedimentos a adoptar e as pistas a seguir em situações críticas nos departamentos governamentais ou empresas.

Comentários do Facebook

Partilhar
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>