POLÍTICA

Governo aposta na construção de mais escolas

Partilhar

O ministro de Estado do Desenvolvimento Económico e Social, Manuel Nunes Júnior, disse que o governo angolano vai nos próximos anos construir aproximadamente cinco mil escolas, de forma a pôr fim ao problema de crianças fora do sistema de ensino.

O governante que falava neste domingo na abertura do Encontro Nacional de Educação/2018, que decorre sob o lema “Capacitar o professor é garantir uma educação de qualidade para todos”, numa promoção do ministério de tutela, afirmou que apesar dos assinaláveis resultados alcançados no domínio da educação, particularmente a partir de 2002 com a conquista da paz, ainda existem muitas crianças fora do sistema de ensino, facto que deve ser resolvido com muita eficácia e determinação.

Manue Nunes Recordou que em 15 anos, Angola multiplicou por quatro o número de efectivos do sistema nacional de educação anterior à universidade, ao passar de 2.5 milhões de alunos em 2002 para quase 10 milhões no presente ano lectivo.

No ano 2000, disse, a taxa de analfabetismo em Angola era de mais de 50 porcento. Já em 2014, de acordo com dados do Censo Populacional, a taxa geral de analfabetismo baixou significativamente para 34 porcento, destacou.

Na população adulta mais jovem, isto é, dos 15 aos 25 anos de idade, a taxa de analfabetismo é ainda mais baixa, situando-se em 23 porcento, concluiu.

De acordo com dados oficiais publicados pelo ministério da Educação, em Angola há cerca de dois milhões de crianças fora do sistema nacional de ensino no presente ano lectivo.

A construção de mais escolas e a inserção de novos professores constam de um plano apresentado em abril do corrente ano pela ministra da Educação Cândida Teixeira com objectivo de reduzir o número de crianças fora do sistema de ensino. Sobre recomendação do parlamento, o governo angolano vai lançar ainda este mês um concurso público para inserir 20.000 professores no sistema de ensino. De acordo com o ministro da Administração Pública, Jesus Maiato, que falava aos jornalistas no dia 1 de maio (dia do trabalhador), a realização de concursos públicos nos sectores da Saúde e Educação aguarda por publicação nos órgãos da Comunicação Social, uma vez já terem despacho de autorização do titular do poder Executivo.

Comentários do Facebook

Partilhar