MOÇAMBIQUE

Futuro do processo de paz dita evolução do risco do país – Consultora Aon




O responsável da estratégia comercial da consultora Aon em Portugal considerou hoje à Lusa que a morte de Afonso Dhlakama tanto pode fazer continuar o processo de paz como fazer degradar o risco de Moçambique.

“O que podemos esperar é um cenário em que a perda desta figura até venha a não interromper o processo que recentemente era anunciado de negociação e encontro de vontades, e isso terá um efeito positivo na continuação da trajetória que aparentemente existia, ou então, se houver um efeito contrário, ainda haverá um cenário de agravamento maior dos riscos que são atribuídos ao país”, disse João Mendonça à Lusa.

Comentando as implicações da morte do líder histórico da Resistência Nacional Moçambicana (Renamo), o responsável da consultora de risco Aon em Portugal vincou que houve “alguns sinais de melhoria com aproximação ao diálogo” e acrescentou que “esses sinais poderiam refletir-se em indicadores materialmente concretizados que melhorassem o panorama de risco”.

Comentários do Facebook
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>