POLÍTICA

Presidente da República visita Zâmbia




O Chefe de Estado angolano, João Lourenço, efectua uma visita oficial à Zâmbia nos dias 02 e 03 deste mês, com o objectivo de reforçar a amizade e a cooperação entre os dois estados.

João Lourenço, que estará a frente de uma delegação que integra onze ministros e 25 empresários, de acordo com o programa da visita, prevê aterrar no Aeroporto Internacional Kenneth Kaunda, em Lusaka, às 10h00 locais (do dia 2 de Maio), uma hora a menos, em Luanda.

O Chefe de Estado angolano será recebido pelo seu homólogo zambiano, Edgar Chagwa Lungu, além de uma significativa recepção, por parte da comunidade angolana, residente na capital zambiana.

Além das conversações oficiais, entre as duas delegações, prevê-se a assinatura de alguns instrumentos jurídicos de cooperação, com destaque para o acordo de supressão de vistos em passaportes ordinários, de serviço e diplomático.

A agenda do Chefe de Estado angolano inscreve uma visita de cortesia à Kenneth David Kahunda, primeiro presidente zambiano, e uma deslocação a Fábrica Universal de Produção de Aço e Indústrias Químicas e Minerais, situada na região de Kafue, cerca de 40 quilómetros a Sul de Lusaka.

A presença do estadista angolano será aproveitada para a realização do Fórum Empresarial Angola Zâmbia, evento que visa promover as oportunidades de negócios nos dois países e estimular as trocas comerciais e o investimento mútuo.

Para o efeito, 25 empresários angolanos, envolvendo operadores dos ramos do turismo, comércio, agricultora e indústria, estarão em Lusaka, para com os seus homólogos locais, lançarem as bases, visando dinamizar o intercâmbio económico, nos dois sentidos da fronteira comum.

A Zâmbia compra de Angola peixe, sal, cimento, combustíveis e lubrificantes e recebe do país vizinho, produtos agrícolas, com realce para o milho, num volume de transacções que ronda os 10 milhões de dólares por ano, estima a Câmara de Comércio, em Lusaka.

Ligados por uma fronteira, que se estende por mais de 1000 quilómetros, ambos os governos estão interessados em incrementar o ritmo das trocas comerciais, as quais, presentemente, padecem de excessiva informalização e realizadas basicamente por pequenos operadores e pelas populações residentes ao longo da fronteira.

A abertura de rotas de circulação, como é o caso do projecto de construção do canal fluvial, que ligará as localidades de Changombo(Zâmbia) e Rivungo(Angola -Kuando Kubango), a par dos Caminhos de Ferro de Benguela, inserido no âmbito do Corredor do Lobito, constituem-se nos pilares estruturais de um intercâmbio económico, que ganha novo impulso com a presente visita de Estado.

A Zâmbia alberga a segunda maior comunidade angolana no exterior do país, depois da República Democrática do Congo(RDC).

Estima-se que mais de 25 mil cidadãos nacionais vivam em território zambiano, maior parte dos quais antigos refugiados de guerra e ex-combatentes, das diferentes etapas de luta.

Um encontro com a comunidade Angolana na Zâmbia reunirá na sala de conferências do hotel Intercontinental, em Lusaka, o Presidente angolano e extractos representativos desta comunidade.

João Lourenço ouvirá, certamente, preocupações ligadas a obtenção do Bilhete de Identidade, por partes destes compatriotas, assim como a inclusão na Caixa de Segurança Social das Forças Armadas Angolanas (FAA), dos antigos combatentes, viúvas e órfãos de guerra, entre outras preocupações.

A embaixadora de Angola na Zâmbia, Balbina Dias da Silva, considera que a visita do estadista angolano ocorre num momento em que as relações diplomáticas entre Angola e Zâmbia atravessam um bom momento.

Comentários do Facebook
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>