Holandeses pagam 200 M€ para fechar processo por subornos no Brasil, Angola e Guiné-Equatorial

Lusa

Partilhar

A holandesa SBM, de serviços petrolíferos, declarou-se culpada, num tribunal norte-americano, por subornar, nomeadamente, quadros das petrolíferas estatais do Brasil, Angola e Guiné-Equatorial, aceitando pagar 238 milhões de dólares (200 milhões de euros) para fechar o processo.

Em causa está a atividade da SBM, empresa com 7.000 trabalhadores e especializada na construção de plataformas petrolíferas, e da sua subsidiária nos Estados Unidos, com sede em Houston, que, segundo informação do Departamento de Justiça norte-americano, estava a ser investigada por violação da legislação anticorrupção Foreign Corrupt Pratices Act (FCPA).

“A SBM USA declarou-se hoje culpada”, avançou o Departamento de Justiça, numa informação a que Lusa teve acesso, confirmando que a empresa vai pagar aquela penalização, para encerrar o processo.

Além das petrolíferas daqueles três países produtores de petróleo de língua oficial portuguesa, a investigação norte-americana envolvia o pagamento de subornos pela SBM também no Cazaquistão e no Iraque, num “esquema de corrupção”, entre 1996 e 2012, que “envolvia alguns dos mais altos quadros da companhia”, conforme declarou o procurador John Cronan, do Departamento de Justiça norte-americano.

Este processo tinha já levado ao mesmo tribunal, em Houston, Texas, este mês, dois antigos quadros da SBM, que se declararam igualmente culpados por violação do FCPA.

É o caso de Anthony Mace, britânico de 65 anos, na altura diretor executivo da empresa e responsável da subsidiária, e Robert Zubiate, norte-americano de 66 anos, responsável pela área de vendas e marketing na mesma subsidiária, com sede em Houston.

Os subornos terão envolvido, nomeadamente, altos quadros da Petróleo Brasileiro S.A. (Petrobras), da Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola (Sonangol) e da Petroléos de Guinea Ecuatorial (GEPetrol).

No caso da GEPetrol, um dos acusados admitiu pagamentos a cinco pessoas, totalizando 16 milhões de dólares (13,7 milhões de euros) em subornos, feitos através da subsidiária norte-americana.

A leitura da sentença relativamente aos dois ex-quadros da SBM está marcada para 31 de janeiro e 02 de fevereiro, no tribunal de Houston.

A Justiça norte-americana refere que foi possível recolher provas nesta investigação com recurso ao apoio do Ministério Público Federal do Brasil, bem como das autoridades judiciárias da Holanda e da Suíça.

Comentários do Facebook

Partilhar
<script async src="//pagead2.googlesyndication.com/pagead/js/adsbygoogle.js"></script>
<ins class="adsbygoogle"
     style="display:block"
     data-ad-format="autorelaxed"
     data-ad-client="ca-pub-7513151535689663"
     data-ad-slot="7531535151"></ins>
<script>
     (adsbygoogle = window.adsbygoogle || []).push({});
</script>